Ao sol. Música para ouvir ao sol. De manhã, quando está sol. A ir de carro ao sol, para um sítio com mais sol. Deitados, apenas, ao sol. A rir ao sol. À tarde, com sol. A beijar, ao sol. Melancólicos, ao sol. Com erva, cerveja e óculos escuros ao sol. A tomar decisões ao sol. A saltar, ao sol. A lembrar, ao sol. Ao sol, porque é bom.

Façamos então como cantam os Cults e vamos lá para fora. E já agora levem convosco esta compilação nascida sob a bênção de Ra, onde relembramos os galeses Weekend de Alison Statton (a voz angelical dos Young Marble Giants) e os subvalorizados The West Coast Experimental Pop Art Band (directamente de 1968), e ouvimos o que prometem projectos frescos como Twin Sister, a parceria Byrne-Fatboy Slim (e ilustres convidados) ou Beach Fossils (com um álbum homónimo acabado de lançar, pela mão dos rapazes da Captured Tracks).

Boas insolações.

Download: Sun-drenched Jésus Mixtape

1. Cults – Go Outside (3:21)
2. Twin Sister – All Around and Away We Go (4:34)
3. Ariel Pink’s Haunted Graffiti – Round And Round (5:13)
4. David Byrne and Fatboy Slim – Every Drop of Rain (5:34)
5. Weekend – Summerdays (2:52)
6. The West Coast Experimental Pop Art Band – Eighteen Is Over The Hill (2:42)
7. Family Portrait – Mega Secrets (3:53)
8. Beach Fossils – Daydream (3:04)
9. Pure Ecstasy – Easy (4:00)
10. Summer Camp – I Only Have Eyes For You (3:13)
11. Trailer Trash Tracys – Candy Girl (4:12)
12. The Magic Kids – Hey Boy (2:14)
13. Pill Wonder – Gone To The Market (2:51)
14. Ty Segall & Mikal Cronin – Bikini Babes (1:30)
15. Gonjasufi – Change (2:05)
16. Washed Out – Untitled (2:31)
17. Ducktails – Mirror Image (3:54)
18. Small Black – Despicable Dogs (Washed Out Remix) (4:12)

Meu tabaco você fuma.

April 27, 2010

Maniac Meat! Album novo de Tobacco!  E ‘ó meu deus está tão bom’. Depois do incrível ‘Fucked Up Friends’ e da prazenteira colecção de fritarias ‘The Allegheny White Fish Tapes’, Tom Fec surpreende-nos sem deixar de ser ele próprio (sim, sim, sintetizadores espaciais frenéticos, batidas confiantes e distorção qb ainda estão lá) cuspindo um álbum bastante sólido e acessível, presenteando-nos ainda com a participação de Beck em duas faixas. Priceless!

Data de lançamento: 25 de Maio. Editado pela Anticon. Podem fazer (desde hoje) a pre-order do album aqui, ou ir ouvindo este pedaço de carne aqui:

(pic via owleyes)

Witch House (aka ghotic chillwave, ou occult house). “Estilo” nascido em meados do ano passado, que adopta toda a estética do ocultismo/bruxaria e que soa ao que soaria uma compilação de euro-dance dos anos 90 produzida e remisturada pelo Aleister Crowley depois de passar um mês fechado a ouvir o ’20 Jazz Funk Greats’. Caracteriza-se por batidas lentas com sonoridade retro, sintetizadores estragados e vozes espectrais com pitadas de shoegaze e industrial. A meu ver tudo começou com os SALEM, mas apenas ganhou força enquanto movimento quando as várias estrelas da DISARO Records (cujo myspace é o melhor sítio para uma introdução ao trabalho destas pessoas estranhas) começaram a ganhar notoriedade e a criar um burburinho na blogosfera. Som e estética porreiros para quem gosta de triângulos e do trabalho do realizador Kenneth Anger.
Como banda sonora para os vossos pesadelos proponho a minha segunda mixtape, uma espécie de amostra do que se anda a fazer nesta onda. Especial destaque para os já famosos oOoOO, para o já “mencionado” (na anterior mixtape) Balam Acab, para os interessantes Modern Witch e White Ring e para o surpreendente Diamond Black Hearted Boy que leva as bruxarias ao ghetto (para algo parecido, mas já um bocado fora da “cena” witch house, vide GHETTO CAVIAR).

JÉSUS VA À LA CASA DE BRUJAS Mixtape
1. SALEM – Whenusleep (2:25)
2. oOoOO – EGYPTYNLVR (2:40)
3. White Ring – IxC999 (5:07)
4. RAW MOANS – rose bath (demo) (2:53)
5. SLEEP ∞ OVER – Your world is night (4:21)
6. Modern Witch – Not The Only One (4:37)
7. CREEP – HOT SHIT RMX (2:54)
8. yusuf b – shakespearsgone (1:22)
9. Diamond Black Hearted Boy – New World Order (3:36)
10. Mater Suspiria Vision – Exorcism of the hippies (3:42)
11. White Ring – Faded (3:37)
12. Modern Witch – Chalice (2:29)
13. oOoOO – PCKRFCRMX (2:02)
14. dir†ypride – sOme†hiNgiN†heway(cObain) (4:45)
15. ///▲▲▲\\\ – tetanus wine (3:44)
16. Balam Acab – Big Boy (4:27)

E vá, sorriam e não acreditem em bruxas.


roundandround

April 12, 2010

Sei que isto já anda por todo o lado, mas não resisti. Soa ao Ariel Pink a gravar num estúdio a sério. Para ouvir até à exaustão. (cliquem no pé direito da menina do chapéu, ou na zona genital do Ariel Pink, ou noutro sítio qualquer. e btw, ainda não sei bem o que pensar desta cover artwork).

Perdoem-me o interregno. Estive na Bélgica ocupado a fazer coisas que se fazem na Bélgica. E com isso lembrei-me que desde puto até à alguns anos atrás era fã de alguns ruídos fermentados no país das batatas fritas e da cerveja (<3).
Por exemplo, lembrei-me deste gajo, o Ignatz. Bram Devens de seu nome, de Bruxelas e sempre na sua, foi enchendo o mundo de folk-blues barulhentos desde circa 2005. Uma espécie de Skip James a mascar a glândula pineal de um vagabundo. Vale a pena darem uma vista de ouvidos no seu ‘III‘ de 2008 (e serem uns meninos bonitos e comprarem o LP na K-RAA-K Records).

Também me lembrei do velhinho Toots Thielemans. Mestre da harmónica e do assobio, filho de uma Bruxelas de 1922. Aqui com os gigantes Charlie Haden e Nick Cave, a relembrar o gigantesco Hendrix:

Ok, e claro, dEUS. O Worst Case Scenario (entretanto sujeito a uma edição especial remasterizada e polvilhada de b-sides) foi o meu (e de muita gente) album de eleição nos meus 8teens. Vá lá, voltem a ouví-los (e perdoem-lhes a quantidade significativa de material desinteressante que entretanto produziram).

Não podia também deixar de evocar os Millionaire (da galáxia dEUS, também). Esta música e este vídeo são imortais.

E seria mesmo previsível se eu agora me pusesse a falar do (grande) Jacques Brel, ou mesmo dos Soulwax/2manydj’s ou dos Goose, ou dos K’s Choice (puke…). Mas não o vou fazer.

(e sim, a bélgica foi a culpada por não me ter virado para uma mixtape nova)

Winter blues.

March 19, 2010

oh yeah.

Novo vídeo do nosso hip-freak-folker preferido para o single ‘Baby’. Aqui, Devendra (ou será Zappa?) e os amigos vão curtir a sua cena dentro do rabo de alguém. E esse rabo e respectivo trato intestinal têm uma fauna amigável. E esse rabo tem como soberano o Wu-alquimista GZA. Gostei do conceito.

(p.s. nova mixtape para breve)

Ena ena! Os Fuck Buttons pelos vistos vão lançar um 12” da faixa Olympians (do último LP ‘Tarot Sport’) pela ATP Recordings (a 12 de Abril). Agora a parte gira: vem com remixes de J. Spaceman (Spacemen 3) e Alan Vega (Suicide) ! Did I mention Fuck Buttons X J. Spaceman X Alan Vega? Para quem não está a ver a genialidade da coisa eu passo a explicar:

+

+

E podem ver que eu não estou a mentir, e em inglês, aqui.

.

March 9, 2010


Toro y Moi – “Talamak”
Último vídeo de Toro y Moi (em alta rodagem para estes lados desde o verão louco de 09…) para a viciante “Talamak” do LP “Causers of This”. Solarengo, como a música.


WETDOG – Lower Leg
Toda a gente gosta de grrl-bands, e de gajas em bikini, e de piscinas. Vídeo para Lower Leg, single do album ‘Frauhaus!’ (editado pela Captured Tracks em finais de 09) das britânicas WETDOG.


Xiu Xiu – “Dear God, I Hate Myself”
O infame vídeo da faixa “Dear God, I Hate Myself”, do album homónimo da banda de Jamie Stewart. Ideal para ver com chá e bolachas, na companhia de quem mais gostam.

CREEP – HOT SHIT

CREEP, mais uma pérola da muy promissora TriAngle Records (vide oOoOO ou Balam Acab). Duo feminino de Brooklyn que dá seguimento à vaga pomposamente denominada de gothic chillwave (adoro estas tags ‘modernas’).

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.